30.11.06

nucleARES

as identidades matam mais em 2006.

vaIDADE
bELEza
sensAÇÃO
tesão.

não se sabe quem se É.
não se sabe quem se VÊ.
não se sabe o que se QUÉ.

as atividades nucleARES (segundo pesquisas)
poderão MATAR mais em 2016.
arsenais bélicos e pessoas se transformarão em PÓ.


a MAQUIAgem já sumiu há eras.
já secou deveras.
agora os pedaços começam a cair.
cair.

cair.

cair.

sumir.

os olhos, antes pintados,
são agora vãos.
vãos de SENTImento,
vãos de COR,
vãos de ESPAÇO,
vãos de imaginaAÇÃO.


as taças de álcool,
seguidas do olhar turvo no céu...
já perderam, há tempos, o seu lugar para o PÓ.


o PÓ da IMAGEM.
o pó da vaIDADE.

o PÓ da futilIDADE.


vive-se o século da identidade perdida.

3 comentários:

Dóro disse...

Eu sei o que qué
Qué Robes do Caralho
Pois Zé

alvaro disse...

a identidade e a personalidade do pó movem a humanidade.

Chronos disse...

E que o mundo vá pelos ARES...